"As experiências que temos na vida é nossa evolução espiritual"

domingo, 28 de outubro de 2018

O BOM MÉDIUM E O MÉDIUM BOM

Como de costume, a insônia fez-me abrir os olhos às 3 horas da manhã. “Escutando” ao longe o toc-toc da bengala, antevia quem se aproximava. Como soe acontecer, Pai Joaquim se senta no seu banquinho ao lado da cama e me pergunta:

- Filho, qual é a diferença entre o médium bom e o bom médium?

O silêncio era proposital da parte dele. Esperava que eu respondesse. Mediante o meu silêncio, também proposital que significava “não sei se eu sei”, o negro velho voltou a falar:

- Nem todo bom médium é um médium bom.

Diante da sentença, o meu silêncio aumentava, agora pela questão de buscar mais tempo para refletir sobre o que tinha ouvido. Assim sendo, ele prosseguiu:

- Um bom médium é aquele que se entrega completamente ao serviço espiritual para que as entidades de luz possam “baixar” em uma gira. Ele incorporado deixa que o espírito que se acopla ao seu corpo energético conduza o trabalho de forma plena. O bom médium é uma referência para a assistência que acorre a um terreiro em busca de ajuda. “Aquele Caboclo é muito bom”; “Nossa, como a Preta Velha de fulana é certeira!”, estas e outras frases indicam o bom médium. O bom médium é um aparelho com alto grau de sensitividade.

- Já o médium bom é aquele que está para além da “perfeita incorporação”. O médium bom não está restrito ao momento em que está vestido de branco no terreiro, no dia de sessão.

Nem sempre o bom médium dá bom testemunho do que aprende na Umbanda. Em compensação, o médium bom é uma referência para todos que o conhecem como exemplo de pessoa íntegra, amorosa, fraterna, paciente e compreensiva. O médium bom é o que faz com que pessoas externas à religião formulem a seguinte frase: “A Umbanda, considerando como o fulano é, deve ser, realmente, uma religião que pratica o bem e faz crescer os seus adeptos.” O médium bom é o reflexo, na Terra, daqueles que vêm de Aruanda. O médium bom é um verdadeiro ser humano (na mais linda plenitude da expressão).

E a pergunta que encerrou a conversa foi: Você quer ser uma pessoa reconhecida porque que é um médium muito bom na tarefa de dar passagem às entidades ou prefere ser um médium reconhecido por ser um homem bom?

Por: Daniel Filho

HOMENAGEM A NOSSA IRMÃ DE FÉ ANGÉLICA

Hoje a saudade nos faz mais uma visita, mas não vem acompanhada da tristeza como protagonista. Com corações mais confortados, dedicaremos este poema a todas pessoas que se foram e deixaram uma eterna saudade em especial a nossa amiga Angélica pelo tempo que esteve conosco, pelos ensinamentos e por estar olhando por nós la de cima...
Recomeço - Bráulio Bessa

Quando a vida...
Quando a vida bater forte e sua alma sangrar,
quando esse mundo pesado lhe ferir, lhe esmagar,
é hora do recomeço, recomece a lutar.
Quando tudo for escuro e nada iluminar,
quando tudo for incerto e você só duvidar,
é hora do recomeço, recomece a acertar.
Quando a estrada for longa e seu corpo fraquejar,
quando não houver caminho, nenhum lugar para chegar,
é hora do recomeço, recomece a caminhar.
Quando o mal for evidente e o amor ocultar,
quando o peito for vazio e o abraço faltar,
é hora do recomeço, recomece a amar.
Quando você cair e ninguém lhe aparar,
quando a força do que é ruim lhe derrubar,
é hora do recomeço, recomece a levantar.
Quando a falta de esperança lhe açoitar,
se tudo que for real for difícil suportar,
mais uma vez é hora de recomeçar, recomece a sonhar.
Enfim meu povo. É preciso de um final para poder recomeçar.
Como é preciso cair para poder se levantar.
Nem sempre engatar a ré significa voltar.
Remarque aquele encontro, reconquiste um amor, reúna quem lhe quer bem.
Reconforte um sofredor, reanime quem está triste,  reaprenda na dor.
Recomece, se esforce, relembre o que foi bom, reconstrua cada sonho, redescubra algum dom, reaprenda quando errar,
E se um dia lá na frente a vida der uma ré, recupere sua fé  e recomece novamente.

A cada manhã uma nova oportunidade de saber que pra ser eterno, basta viver um bom dia de cada vez, pois o que fica  pra saudade,  é quem a gente era, o amor que a gente deu e o que a gente fez.
Adormeci e sonhei que a vida era alegria; despertei e vi que a vida era serviço; servi e vi que o serviço sim  era alegria e um eterno recomeço 
Não desista, ainda que a sua fé seja pequena, o que Deus tem pra te entregar é grande.
Muitos não irão entender, mas você compreenderá o quanto valeu a pena lutar, esperar e confiar.
 Oração 🙏 

Que nosso Pai Oxalá possa te visitar nessa noite e trazer um pouco de paz a seu coração. 
Que suas dores sejam amenizadas e sua fé renovada.  
Confie que amanhã será um novo dia, cheio de oportunidades e conquistas. 
 Faça a sua parte e siga confiando. 
 Vai dar tudo certo! 
 Assim seja! 

Saravá

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

31º ANIVERSÁRIO DO TEMPLO DE UMBANDA MENSAGEIROS DE OXALÁ - TUMO - 4ª PARTE


Hoje chegamos ao último dia da festa do nosso 31ª aniversário, o último pilar é o da ARTE: que é a habilidade e disposição para de forma consciente, controlada e racional, dirigir a matéria e o espírito em perfeita união. E as linhas a seguir nos transmitirem esses conhecimentos e sentimentos, com muito amor e alegria.

Para iniciar vamos agradecer ao nosso Pai Xangô, por mais um ano de muita luz, muita força, muita fé e muito amor para que possamos cumprir a nossa missão que é a pratica da caridade.



 

CIGANOS: eles são referências por representarem importantes falanges nas giras umbandistas. Algumas características dos ciganos são determinantes em sua manifestação na Umbanda, eles possuem um espírito livre e desapegado, é comum ver em linha de ciganos: espíritos que foram atraídos por afinidade com a magia cigana; são extremamente desapegados e não possuem vínculos; trabalham com diferentes orixás e veneram Santa Sara Kali.
Os ciganos são figuras que se tornam mais importantes a cada dia, representam uma imagem fundamental e possuem seriedade diante do povo umbandista. São vistos com sabedoria, eles ensinam a partir de sua maneira de observar o mundo a como ver uma beleza na criação e encontrar uma alegria de viver e são agradáveis a todos que trabalham com eles.

São conhecedores dos caminhos, são eles quem direcionam e mostram os diversos caminhos existentes, pois existem a muito tempo e são sempre lembrados por suas trajetórias. Possuem conhecimento mágico profundo e são facilmente reconhecidos por essa característica. São curandeiros excelentes, principalmente nos campos amorosos e de saúde.

 

 

CABOCLO GUARÁ
"Antes de prosseguirmos com a última linha da nossa festa, se faz necessário prestar uma homenagem a um guia que é essencial para que o nosso centro se mantivesse todos esses anos cumprindo sua missão de ajudar ao próximo, praticando a caridade e ensinando o valor do amor e da fé.
Na sua última encarnação esse guia era ainda garoto quando abraçou o Cristianismo e se ordenou padre. Veio para o Novo Mundo, o Brasil, para catequizar os selvagens que aqui habitavam, mas grande foi seu amor pelos índios e maior ainda sua revolta quando percebeu o verdadeiro interesse dos governantes e da igreja. 
Passou a viver com os índios, sua nova família, viu muitos serem massacrados e outros tantos serem dizimados pelas doenças que o homem branco trouxe.
Refugiou-se na mata, passou a viver isolado até seu desencarne, teve apenas como companheiro um lobo, o lobo guará, daí a escolhe do seu nome para vir no centro.
Quando chegou a essa falange trazido pelos guias, era um espírito em aprendizagem, como ele mesmo dizia: - Guará bravo, Guará cabeça dura. Mas a evolução veio rápida pelo dom que ele tem de transmitir paz ao espírito.
Não há nesse centro nenhum filho que a ele tenha recorrido que não tenha sido atendido.
Caboclo, queremos te agradecer por tudo que vós faz por todos nós do Templo de Umbanda Mensageiros de Oxalá."


CRIANÇA: Crianças na Umbanda é, antes de tudo, sinal de alegria. Simbolizam a pureza, a inocência e o bom humor. Podemos pedir-lhes ajuda para os nossos filhos, auxílio para resolver problemas cotidianos, fazer confidências.
Como no plano material, também no plano espiritual, a criança não se governa, tem sempre que ser tutelada. Quando incorporadas, gostam de brincar, correr e fazer brincadeiras como qualquer criança.
Poucos são aqueles que dão importância devida às Giras das vibrações infantis, o fato é que uma Gira de Criança não deve ser interpretada como uma diversão, brincando elas vão trabalhando com seu elemento de ação sobre o filho, modificando e equilibrando sua vibração, regenerando os pontos de entrada de energia do corpo humano.
Esses seres, mesmo sendo puros, não são tolos, eles identificam muito rapidamente nossos erros e falhas humanas.
Muitas entidades que atuam sob as vestes de um espírito infantil são muito amigas e têm mais poder do que imaginamos, são ótimos conselheiros e curadores, daí sua associação a São Cosme e São Damião, curadores que trabalhavam com a magia dos elementos.

 

 


Esperamos que vocês tenham adquirido um pouco mais de conhecimento sobre os guias que trabalham na Umbanda.
E queremos agradecer a presença de todos, pois vocês são essências para que os guias e nós, médiuns, possamos cumprir nossa missão.
                               Que nosso Pai Oxalá abençoe a todos.


 Mensagem

Hoje eu pensei em desistir, largar tudo, seguir outro rumo, de joelhos, chorando eu pedi a Oxalá um caminho novo. Foi quando eu senti meu coração acelerar, senti uma força muito grande, meu corpo arrepiou, suava frio, quando abri os olhos todos os meus guias estavam em minha frente.
O primeiro a me abraçar foi meu preto velho, e ele me disse: "Filha serei sempre o abraço que você precisa na dificuldade, comigo você pode sempre contar."
Logo em seguida veio a preta velha, sorriu, pegou um terço que estava em seu pescoço coloco em minha mão e disse: "Filha quando estiver com o coração amargurado e com medo, ore com fé que eu venho lhe ajudar."
Logo em seguida meu caboclo deu um brado tão forte que me arrepiei dos pés a cabeça, e me disse: "No meu brado todos os seus medos e inseguranças vão perder a força."
Logo em seguida veio minha cabocla e me olho firme, tirou uma pena do seu cocar e disse: "Seja leve feito uma pena, mas saiba aonde pousar."
Logo em seguida veio minha criança, me rodeou jogou uma luz colorida e disse: "Vim colorir seu coração, ele anda muito triste."
Logo em seguida meu boiadeiro pegou seu laço e começou a rodar, tocou seu berrante e disse: "Enquanto eu for boiadeiro, filha, nenhum dos meus se perde na estrada."
Calmamente meu cigano me olhou, piscou e disse: "Seja livre feito o vento, saiba caminhar alegremente é quando estiver perdida é só olhar para as estrelas, olhe, que lá vou estar para lhe guiar."
Quando eu ia me levantar olhei para o lado e minha pomba-gira me deu a mão e disse: "Todas às vezes que você cair eu vou lhe ajudar a levantar, no chão você nunca vai ficar."
Lá na porteira dando segurança, meu Exú deu uma gargalhada e disse: "Gostou moça, da surpresa? Desistir pra que garota?  Olha quantas pessoas acreditam em você. Enquanto nós espíritos formos firmes em sua vida, seu caminho será sempre a Umbanda" e com um lindo sorriso ele bateu seu tridente no chão e todos os espíritos se foram.
Foi quando eu olhei pro congá e vi das mãos de Oxalá uma intensa luz a minha frente, senti uma enorme paz, vi meu pai Xangô me abraçar e me cobrir com a força de seu Machado.
Vi minha mãe Iansã levantando vento e tirando tudo de negativo que eu mesmo coloquei em meu caminho.
Logo em seguida, todos os Orixás me abraçaram e foi aí que percebi que a Umbanda será sempre a luz que guia meu caminho. Que qualquer estrada que eu caminhar, a força que eu carrego ao meu lado sempre vai estar. Gratidão minha Umbanda querida, gratidão!




domingo, 16 de setembro de 2018

31º ANIVERSÁRIO DO TEMPLO DE UMBANDA MENSAGEIROS DE OXALÁ - TUMO - 3ª PARTE

 O terceiro pilar da Umbanda: a FILOSOFIA que é o amor pela sabedoria, é o modo que devemos viver, quando se entra na religião. E os guias que virão hoje nos trazem essa Filosofia, por serem espíritos de muitas virtudes, tais como: a determinação, a lealdade, a honestidade, o amor à Natureza e aos seres existentes.

             
              


XANGÔ: é o orixá da Justiça, da sabedoria, da política. Ele rege tanto a justiça divina quanto a justiça dos homens, de forma imparcial, sem escolher lados. Seu poder é representado pela balança, simbolizando o equilíbrio do julgamento. Ele é quem luta para manter o universo divino balanceado e consistente. A representação de Xangô muitas vezes é feita com um machado de dois gumes, que representa a força da justiça que corta para os dois lados, representando a neutralidade do equilíbrio. Quem invoca a justiça de Xangô deve ter em mente que também será julgado, e se estiver devendo à justiça divina, também terá que pagar. Quando se pede a intervenção de Xangô pela justiça é preciso estar atento que antes de nos ajudar, ele irá analisar a nossa conduta, vai verifica se temos sido justos em nossa vida com os nossos semelhantes. A balança deste orixá busca o equilíbrio, e tudo o que não está de acordo com a Justiça Divina é contado. Ele nos provém da justiça que buscamos de acordo com a nossa necessidade e merecimento.

 


OGUM: Ogum é um dos principais Orixás na Umbanda, é o Orixá guerreiro, que protege contra as guerras e as demandas espirituais negativas. Ele representa as demandas da vida, é um orixá muito forte e justo, destemido e estratégico, conhecido por ser o responsável pela manutenção da lei e da ordem no terreiro. Ogum é aquele que abre caminhos em qualquer terreno que se possa imaginar e toma a iniciativa. Coragem e nobreza fazem dele um orixá admirado por todos aqueles que se inspiram na energia da ação, do ímpeto e da sabedoria. Por isso, muitas pessoas pedem ajuda a Ogum quando sentem que suas vidas precisam de caminhos novos para serem abertos.

  


OXÓSSI: é o patrono da linha dos CABOCLOS, o Senhor das Matas – no qual é rei absoluto, portanto todas as espécies de plantas e o reino animal têm ação deste orixá. Ele é um profundo conhecedor das ervas e de seus poderes medicinais, sendo um curador poderoso, ele também é considerado um caçador de almas, procura almas perdidas para catequizá-las. Os caboclos trazem consigo a energia das matas e são sustentados pela força de Oxóssi, por isso vemos que os caboclos geralmente são espíritos aguerridos, austeros, com uma forte presença física e por vezes falam com um sotaque meio arrastado podendo ou não intercalar algumas palavras que não são bem compreendidas. Usualmente, os caboclos incorporam dando um grito, ou brado. É uma forma de mantra para alguns e um grito de guerra para outros. Mas isso não é uma regra, muitos trabalhadores dessa linha chegam em silêncio e mantêm um porte e uma fala impecável, pois devemos sempre nos lembrar que caboclo é um grau e não uma condição.


CABOCLO DO ESPAÇO: Tem a mesma força que os outros caboclos, só que esses caboclos fazem a cobertura dos trabalhos para que nenhuma força inferior perturbe o andamento das giras. Auxiliam os outros caboclos que estão em terra atendendo e dando passes, muitas vezes ficando responsáveis por correr a gira dos filhos.


CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS: No dia 15 de novembro de 1908, houve a primeira manifestação desse caboclo, incorporando o médium Zélio Fernandino de Morais, em uma sessão de kardecismo. Nessa sessão manifestaram-se em vários médiuns presentes, espíritos que se identificaram como de indígenas ou caboclos e de escravos africanos. O dirigente dos trabalhos convidou esses espíritos a se retirar advertindo-os acerca do seu (deles) atraso espiritual. Nesse momento Zélio tomado por uma força estranha disse: "- Se julgam atrasados estes espíritos dos pretos e dos índios, devo dizer que amanhã estarei em casa deste aparelho (o médium Zélio), para dar início a um culto em que esses pretos e esses índios poderão dar a sua mensagem, e, assim, cumprir a missão que o plano espiritual lhes confiou. Será uma religião que falará aos humildes, simbolizando a igualdade que deve existir entre todos os irmãos, encarnados e desencarnados. E, se querem saber o meu nome, que seja este: Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque não haverá caminhos fechados para mim".
E assim no dia 16 de novembro de 1908, em Niterói, no Rio de Janeiro, foi fundado o primeiro centro de Umbanda: Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade, "porque assim como Maria acolhe o filho nos braços, também seriam acolhidos, como filhos, todos os que necessitassem de ajuda ou conforto".
O Caboclo das Sete Encruzilhadas pertence à falange de Ogum, e sob a irradiação da Virgem Maria, desempenha uma missão ordenada por Jesus. O seu ponto emblemático representa uma flecha atravessando um coração, de baixo para cima; a flecha significa direção, o coração sentimento, e o conjunto significam orientação dos sentimentos para o alto, para Deus.

SER UMBANDISTA!!!

Ser Umbandista é amar a Deus acima de todas as coisas.

Ser Umbandista é amar a natureza e respeita-la, pois Deus esta lá!!

Ser Umbandista é reconhecer que os Orixás são Potências de Deus, Divindades, que manifestam as qualidades do Criador de Tudo e de Todos.

Ser Umbandista é ser amante da sabedoria, da virtude, da justiça e da humanidade.

Ser Umbandista é ser amigo dos pobres, desgraçados que sofrem, que choram, que tem fome e chamam pelo direito de justiça.
Ser Umbandista é querer a harmonia das famílias, a concórdia dos povos, a paz do gênero humano.
Ser Umbandista é levar para o terreno prático, aquele formosíssimo preceito de todos os lugares e todos os séculos, que diz com infinita ternura aos homens de todas as raças, desde o alto de uma cruz e com os braços abertos ao mundo: “Amai-vos uns aos outros, formai uma só família, sede irmãos”.

Ser Umbandista é pregar a tolerância; praticar a caridade sem distinção de raças, crenças ou opiniões, é lutar contra a hipocrisia e o fanatismo.

Ser Umbandista é viver para a realização da Paz Universal, tendo pelos encarnados o mesmo respeito que se dedica aos desencarnados.

Ser Umbandista é ter uma crença religiosa sem tabus ou preconceitos, fundamentada na ética e no bom senso, sem ferir os valores dos bons costumes.

Ser Umbandista é respeitar a máxima que diz “somos imagem semelhança de Deus”, vendo Deus na presença do semelhante e em nós, através de nossas virtudes de Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução e Geração.

Ser Umbandista é reconhecer que as religiões são as chaves de Deus para abrir os corações dos homens e que são muitos corações, diferentes uns dos outros, assim como as religiões, mas que é apenas um o Chaveiro Divino, que está em todas as religiões.

Ser Umbandista é dar de graça o que de graça recebemos.

domingo, 2 de setembro de 2018

31º ANIVERSÁRIO DO TEMPLO DE UMBANDA MENSAGEIROS DE OXALÁ - TUMO - 2ª PARTE


Esse ano como já dizemos a Festa de Aniversário está sendo dividida em quatro giras, para que vocês conheçam um pouco mais sobre a Umbanda.
Hoje falaremos sobre o segundo pilar da Umbanda: a Ciência que é o conhecimento atento e aprofundado, esse conhecimento como informação, conhecimento amplo adquirido pela reflexão e experiência. É o conhecimento necessário para se viver, tanto na matéria quanto no espírito. E é a Linha d’água que traz todo o conhecimento necessário para preparação tanto material quanto astral e espiritual. Os guias se manifestam para purificar e energizar os filhos da casa e a assistência.



Mãe Iemanjá – divindade dos mares, a mãe de todos, é protetora das esposas e das mães de família, é o símbolo sagrado do amor, da fé e da pureza. Vem como se estivesse abrindo caminhos entre as ondas.

Mamãe Oxum – divindade dos rios, lagos, riachos e fontes, ela protege as mulheres na flor da vida, simboliza a vida, o amor e a alegria. Como as águas levam as energias negativas.

Nanã Buruquê – divindade das águas lodosas e barrentas, dos pântanos, protetora das famílias, simboliza o amor e a união. Traz a renovação e a purificação

Iansã – divindade dos ventos, das cachoeiras, protege os bombeiros e os mineiros, símbolo da dignidade, do sofrimento e do amor. Vem sempre levantando e movimentos os braços, expulsando os eguns.

Calungas – ou caboclo d’água, são espíritos ancestrais que tem uma ligação tremenda com o povo e a energia marítima. Limpam e infunde no ambiente a paz e o amor.
                   



                
  

Marinheiros – são espíritos incríveis, sempre positivos, sempre alegres, cantam e se movimentando de lá para cá, dando a impressão de ébrios, mas na verdade estão apenas mareados, representando o balanço do mar. São espíritos de homens e mulheres que exerciam atividades como marinheiros, pescadores, corsários, piratas, escravos negros remadores e outras formas de trabalho ligado ao mar. Eles levam para o fundo do mar tudo que causa dor, aflição e sofrimento. Trazendo paz, tranquilidade e amor.
                

       
   
     
Caboclas e caboclos da água - possuem uma força natural, que fortalecer todos os caminhos dos seres humanos. São guias que tem afinidades com a água salgada ou doce, com os ventos, com a beira dos rios e riachos. Trazem consigo características próprias e individuais, que somente eles são capazes de promover, tais como: proteção para as pessoas que estão passando por dificuldades; guiam as pessoas no seu caminho; vibram o bem; espalham o amor.




                                               






Se vocês notaram todos os guias que pertencem a Linha d’água tem em comum um único sentimento que é capaz de mudar o mundo: o AMOR




MENSAGEM:  Profundamente lindo!

“Eu liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo. Eu liberto meus filhos da necessidade de trazerem orgulho para mim. Que possam escrever seus próprios caminhos de acordo com seus corações, que sussurram o tempo todo em seus ouvidos.
Eu liberto meu parceiro da obrigação de me completar. Não me falta nada, aprendo com todos os seres o tempo todo.
Agradeço aos meus avós e antepassados que se reuniram para que hoje eu respire a vida. Libero-os das falhas do passado e dos desejos que não cumpriram, conscientes de que fizeram o melhor que puderam para resolver suas situações dentro da consciência que tinham naquele momento. Eu os honro, os amo e os reconheço inocentes.

Eu me desnudo diante de seus olhos, por isso eles sabem que eu não escondo nem devo nada além de ser fiel a mim mesmo e à minha própria existência, que caminhando com a sabedoria do coração, estou ciente de que cumpro o meu projeto de vida, livre de lealdades familiares invisíveis e visíveis que possam perturbar minha Paz e Felicidade, que são minhas únicas responsabilidades.
Eu renuncio ao papel de salvador, de ser aquele que une ou cumpre as expectativas dos outros. Aprendendo através, e somente através do AMOR, eu abençoo minha essência, minha maneira de expressar, mesmo que alguém possa não me entender.

Eu entendo a mim mesmo, porque só eu vivi e experimentei minha história; porque me conheço, sei quem sou, o que eu sinto, o que eu faço e por que faço. Me respeito e me aprovo.
Eu honro a Divindade em mim e em você. Somos livres."

(Essa antiga bênção foi criada no idioma Nahuatl, falado desde o século VII na região central do México. Ela trata de perdão, carinho, desapego e libertação.)